28 março 2012

vai tudo bem, até que algo vai mal. perdi a conta de quantas vezes já usei essa frase para explicar como minha vida funciona, mas é interessante como as pessoas sempre, sempre se chocam com as demonstrações práticas.

eu estava indo para a aula e toda a chuva do rio de janeiro resolveu se concentrar em cima de mim. continuei andando, o vento me empurrou. fiquei puta, insisti, o guarda-chuva envergou. e saiu voando desmembrado em 4956 pedaços. comigo atrás aos prantos.

mas precisa chorar por isso, raquel?
olha, precisa. porque não era apenas um guarda-chuva com uma maluca correndo atrás. de repente, não era mais um guarda-chuva. era o resumo de todas as vezes em que eu acreditei que não ia me molhar e tomei no cu. era a minha reação acumulada por todas as vezes que eu arrisquei desafiar o vento e fiquei sozinha com uma coisa despedaçada nas mãos, uma coisa que não aguentou a ventania comigo. era a minha vontade de dar um ataque, sapatear em cima daquela merda e me despedaçar junto, mas em vez disso apenas voltar para casa pingando, secretamente frustrada por não ser esse tipo de pessoa que surta, não até o fim.

era tudo que ia bem, até que se quebrou e não foi mais. 

então eu só voltei para casa com a calça ensopada e a cara vermelha e os grampos pendurados no rabo de cavalo desfeito, e me olharam com aquela cara de "mas o que ela fez agora?"

- o que foi isso? você levou um tombo?

como se explica? não se explica. não se explica nunca. porque se começar não acaba nunca mais e né, vamos evitar.

- levei.

e foi a coisa mais honesta que eu disse em semanas.

8 comentários:

  1. Caramba, minha primeira visita aqui e me identifiquei completamente com esse texto!
    A vida às vezes é tão complicada.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Te amo, figura... tão eu que até espanta!

    ResponderExcluir
  3. Exatamente ;~
    Eu gostaria que as suas descrições sobre a sua vida não se parecessem tanto com a minha, porque OLHA
    huahahah
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de estar aí pra te segurar do tombo.

    Mas me conhecendo bem, as chances maiores seriam de eu tropeçar e cair em cima de você.

    Mesmo assim, estranhamente, eu gostaria disso.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Ja me deparei muitas vezes com essa situação, eu chegava a ter pensamentos assassinos, mas pensar não é suficiente e eu não sou fria o suficiente pra agir.
    Felizmente essa 'chuva' eterna passou e hoje eu não to podendo reclamar não viu.

    ResponderExcluir
  6. isso me faz pensar que eu devo chorar às vezes, pois certos acontecimento, por mais que "pequenos" na visão dos outros, nos afeta e nos faz tomar consciência.

    que os dias futuros sejam lindos, sim. ;)

    ResponderExcluir
  7. É o seguinte, leio esse blog, e os outros endereços que vieram antes desse, faz praticamente um ano e eu adoro você. Me identifico sempre, torço muito, sempre. para que as coisas boas se sobressaiam as coisas ruins, torço de verdade. Não vou mandar mensagem positivinha não sobre esse post, só queria dizer isso: adoro você, força aí. Abraços.

    ResponderExcluir