30 setembro 2011

falar uma coisa: tá dando não.

meu parco equilíbrio mental depende basicamente de uma coisa bem simples. tempo. eu preciso de tempo. para não fazer nada. para ficar sozinha. para dizer que vou ali na banca de jornais da esquina e voltar seis horas depois com um sapato novo, uma caixa de lápis de cor e um shampoo - e jornal nenhum. 

agora eu não tenho tempo para nada. n.a.d.a. quero ler, não posso. nem no ônibus, que eu aproveito a viagem para ler textos de 50 páginas falando sobre barrancos. BARRANCOS. escrevo umas coisas pela metade, não tenho tempo de postar. quando tenho não lembro mais do que estava falando. baixo cds que não tenho tempo de ouvir. o ponto alto do ridículo foi começar a pintar as unhas e desistir porque não ia dar tempo de secar o esmalte.

aí hoje surtei e fugi. e bateu uma depressãozinha porque agora até pra surtar eu preciso planejar com no mínimo 24 horas de antecedência e perguntar a duas ou três pessoas se não vou atrapalhar muito. mas é o que temos.

e a vasta experiência em zicas garante: ainda tem como piorar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário