31 março 2011

eu passo meu tempo chegando a conclusões. não, mentira. eu passo metade do tempo chegando a conclusões. na outra metade fico exausta demais e me encolho na cama em posição fetal pra assistir discovery channel.

daí um dia desses, no intervalo de um programa (algo sobre lulas, astrofísica ou a primeira guerra mundial, não sei ao certo) passou o comercial do e-harmony e eu pensei: gente, olha que interessante. os caras te fazem trilhões de perguntas, montam seu perfil e redirecionam pro sociopata mais próximo. não é como se eu estivesse chegando a algum lugar com os métodos convencionais mesmo. NÉ? a menos que você julgue socialmente adequado stalkear a vida toda do objeto da sua afeição tendo como ponto de partida 3 informações genéricas, tempo livre e glenn close feelings.

(não que eu faça isso, imagina)

esperançosa com um novo mundo de possibilidades, preenchi o interminável questionário e aguardei ansiosamente pelo meu (cof) perfil psicológico.



OU SEJA.
independente da técnica empregada eu tô fazendo errado, né. não existe salvação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário