14 novembro 2009

#329

só existe uma sensação pior do que a de acordar naquela desorientação gostosa, checar a bolsa e descobrir que não há dinheiro algum: acordar e descobrir que o dinheiro está todo lá.


(na real eu poderia listar pelo menos umas oito sensações piores, que passam por fazer confidências pro cara que te pega há um mês, chorar sem razão, vomitar seus lindos sapatos de cetim na frente da sua mãe, e por aí vai. mas não falaremos a respeito agora porque (a) lembro quase nada mermo, e (b) perderemos a pouca linha do raciocínio que ainda me resta.)


a questão é: voltar pra casa com o dinheiro todo é constrangedor das mais variadas maneiras. porque pressupõe que você não pagou a conta do bar. nem o táxi, se é que pegou um. e essa, percebam, é uma visão muito otimista dos fatos. porque até onde sabemos você pode simplesmente ter pedido esmola enquanto estava largada na beira da calçada, entrado pro tráfico, leiloado o cu para desconhecidos. e hoje tá aí TRANKS, bebendo seu gatorade com tremeliques ozzy style e esperando os faisões pararem de passear dentro da sua cabeça.


e esse post teve como único objetivo plantar a dúvida na cabeça do prezado leitor que já passou pela situação de voltar pra casa com a carteira intacta se achando mó sortudo.
porque eu é que não vou ficar pensando nessas barbaridades sozinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário